quarta-feira, 26 de abril de 2017

O Nelson em pleno acto de desenho


No encontro do Viacatarina, desenhando caras e pessoas. Neste caso apanhei o Nelson Soares mesmo a meio do acto de desenhar, também ele, uma cara de outro scketcher.
23º Encontro, Viacatarina
22.IV.2017

Algumas "caras" no Encontro dos UsKp-Norte - Via Catarina







Prefiro desenhar edifícios ou automóveis, mas de vez em quando, só faz bem desenhar algumas caras, afinal tudo se resume a um conjunto de linhas mais ou menos orgânicas...  


Sobre o último encontro dos UsKp-Norte que foi magnífico


O último encontro foi óptimo e foi um dos melhores dos últimos tempos pelo convívio e o particularidade do tema e dinâmica. 

Apesar de terem ido apenas 10 pessoas, provavelmente devido ao fim de semana prolongado (dos quais os cinco da foto foram os que ficaram ate ao fim), o encontro ficou marcado por um nível de convívio e partilha que não é habitual nos encontros "normais". 

Era mesmo esse o objectivo do encontro "Pessoas, Caras e Partilha", o que foi totalmente conseguido, tendo sido muito elevados os níveis de companheirismo e discussão de temas de interesse para todos. 

Houve partilha de diários gráficos actuais e antigos entre todos, houve muitas dicas de desenho trocadas, e muitos e bons desenhos (ver aquide pessoas e caras, principalmente dos companheiros sketchers 

Pede-se a todos que partilhem os desenhos e fotos.

Podem ver algumas das fotos que foram tiradas aqui: Fotos 23E

Assim, e como nos encontros "normais" (porque queremos maximizar o tempo de desenho dos locais) não é tão fácil promover a partilha explicita, tentaremos no futuro fazer mais encontros deste tipo.

Cumps
Pedro Alegria


terça-feira, 25 de abril de 2017

Mercado do Bolhão

Um local fantástico para desenhar :)




O rapaz empolgado...

E depois de vários desenhos a ensaiar as dicas e aconchegado pelo almoço lá saiu este desenho, Para mim foi um dia de partilha e de aprendizagem, como se propunha no tema. Objectivo concluído, graças aos colegas presentes.

O colega da frente

O segundo ensaio depois de algumas dicas dos colegas presentes

Rosto na mesa da frente

O meu primeiro desenho na manhã

ViaCatarina antes de encher.

O centro comercial ViaCatarina antes de ficar cheio. De manhã só estavam umas quantas pessoas a tomar café e a ler o jornal. 
23º encontro USKp-NORTE
22.IV.2017

Rugas sem fim

23º Encontro USKp-NORTE
Senhora que estava na mesa ao lado da dos USKp-NORTE. Rugas não faltavam.
22.IV.2017

Rostos

Alguns rostos de quem passou pela mesa dos USKP Norte no Encontro no Via Catarina









quinta-feira, 20 de abril de 2017

ultimamente




Algumas coisas feitas nos últimos tempos. Um jantar com a Naz, um outro jantar com um casal turco amigo da Naz que está cá no Porto a estudar, e uma ida ao Porto para ver um concerto dos Portakal (significa "laranja", o fruto, em Turco). Um grupo interessante. Cada um deles é de um país diferente e interpretam músicas, também, de diferentes culturas. A Özüm (a amiga da Naz) é um dos elementos que compõem os Portakal (a segunda a contar da direita). Só o guitarrista é Português.
avista.naocoisas.com

sábado, 15 de abril de 2017

Norte Shopping no interior

Santuário de Fátima

Silvalde - Espinho - Barco de Pesca Artesanal

Shopping 8ª Avenida S. J. da Madeira 26.2.2017

Torre dos Clérigos 27.3.2017

quarta-feira, 12 de abril de 2017

letra D • Dança (parte 1)

Em 2010 participei num workshop de dança contemporânea enquanto músico convidado: em vez do professor estar constantemente a clicar play/pause no CD durante as aulas, dava-me orientações quanto à estrutura que queria para cada exercício e eu improvisava um ritmo.

A cada momento de pausa eu pegava no caderno e ía desenhando.
Claro está, a maior parte das vezes também estavam os formandos parados, mas ainda cheguei a apanhá-los a voar - ainda que só um nadita...

Dança Contemporânea

Mais tarde, tive a sorte de assistir a uma série de aulas que tinham lugar no Mercado Negro, um espaço em Aveiro onde rara era a noite onde não acontecesse nada.

Primeiro, um baile de danças tradicionais do folk europeu. Uma vez por mês, depois das aulas propriamente ditas, os TradFolk Aveiro abriam a roda para deixar entrar quem se quisesse juntar. Aqui, estavam a dançar uma mazourka - usei barra de grafite.

TradFolk

Noutro dia da semana havia aulas de tango. E se, aqui, os passos não são tão coreografados por causa da natureza improvisada do tango, como se tratava de um contexto de aula havia sempre quem estivesse a tentar fazer o mesmo passo, daí que o que não apanhasse num casal conseguia apanhar no seguinte. Aqui as técnicas foram várias: lápis, tinta da china, marcadores.



Tango 

Próximo post: letra D • Dança (parte 2)

de volta ao Museu Militar

É verdade, já passou um tempinho mas, a verdade, é que o meu scanner tem das suas coisas e só agora consegui digitalizar tudo duma ponta à outra.

A visita ao Museu Militar começou com uma aula de esgrima medieval de manhã, pelo que não deu lá muito para desenhar enquanto tentava escapar a golpes que chegavam de todo o lado. Quando arrumámos as espad..., oops(!), os simuladores, lá saímos para almoçar. Acabámos por seguir com um grupo de gente porreira até ao Jardim de São Lázaro, e almoçámos no Duas de Letra.

Já de regresso, subi as escadas do museu de caderno em riste e comecei logo por atacar as miniaturas.

22. Banda de Infantaria de Linha

Acontece que eram tantas as miniaturas que fiquei a sentir-me um Gulliver e achei melhor continuar as minhas viagens para fora dali.

Resolvi mudar de caderno: o colorido dos brinquedos do edifício principal já não faziam sentido junto a uma trincheira da Grande Guerra...

No pavilhão, vários foram os pormenores que me atraíram: as alabardas cerimoniais de Macau, algumas armas de fogo de e chapéus de várias épocas.

Pormenores

Entretanto eram quase horas de fechar e regressei ao edifício principal, onde ainda tive tempo de encontrar o trabalho de um sketcher do séc. XIX.

A guarnição militar do Porto aclamando a Constituição no dia 24 de Agosto de 1820.
Sanguínea de Joaquim Vitorino Ribeiro

Durante os últimos minutos ainda deu para esboçar mais qualquer coisita.

Dolman de oficial de cavalaria
(esquema de cores)

Despedidas à parte, lá fomos tomar um café antes de apanhar o comboio de volta a Aveiro.

O mais engraçado é que tinha vivido dois anos na rua Ferreira Cardoso, mesmo ali à frente, e tinha deixado sempre a visita ao Museu Militar "para depois". Graças a este encontro reencontrei malta que já não via desde o liceu, conheci malta nova e provei o melhor croissant do Porto!

Bons retratos para dia 22.   =)