domingo, 19 de julho de 2015

Braga, Feira do Livro


Os pavilhões da Feira do Livro, que hoje termina, oferecem um enquadramento diferente à Praça da República, local que por me ser demasiado familiar dificilmente desenharia tão cedo se não fosse assim.

2 comentários:

  1. nos seus trabalhos admiro o registo da figura humana. muito sintético, mas muito assertivo na pose.

    ResponderEliminar
  2. Obrigado, Marco. A figura humana ainda é um tema em que me tenho aventurado pouco, e enquanto elemento de uma composição tem que ser necessariamente sintetizada, pois mesmo não se encontrando em movimento pode fazê-lo a qualquer instante, há que aproveitar :-)))

    ResponderEliminar